segunda-feira, 30 de abril de 2012

Sentado me vejo anotado pelo espelho laranja, tão pequeno que só reflete meu olho que me espia de lado. Já não há mais que eu na minha vida. Risco papel qualquer com traços infantis, querendo fazer numa forma que pareça com alguma coisa terrena, o formato da minha cabeça. metáfora mais facilmente entendida

Nenhum comentário:

Postar um comentário